10/08/2021 14:25

 7 PERGUNTAS SOBRE CST EM COMÉRCIO EXTERIOR PARA FERNANDO SANTOS EDUARDO

 

O Prof Fernando Santos Eduardo possui experiência internacional em mais de 80 países. Graduado em Comércio Exterior, com MBA em Marketing pela UNA/Ohio University e mestrado em Administração com área de concentração em Comércio Internacional pela PUC Minas/Fundação Dom Cabral, Fernando é também doutor em Ciências Empresariais, com ênfase em Marketing Internacional pela Universidade do Minho/Portugal. Tais credenciais o conduziram à coordenação do Tecnólogo em Comércio Exterior do ICEG Escola de Negócios da PUC Minas. Na entrevista a seguir, Fernando confessa sua paixão pela área de comércio exterior e pelo curso que comanda. Confira!

Fernasndo.png

1 - Quais as vantagens de fazer um curso Tecnólogo em Comércio Exterior?

R - Nada mais atual do que essa situação de pandemia para falarmos de globalização e interdependência dos países. Vimos que nações, empresas e pessoas estão cada vez mais conectadas em todo o mundo. Portanto, transações de produtos e serviços são cada vez mais demandadas na esfera global. Com toda essa transformação mundial, até mesmo a logística internacional sofreu um aumento não visto há anos. Além do mais, o entendimento de como negociar e se relacionar com outras culturas tem sido latente a todo instante. Diante desse cenário, fazer um curso de Tecnólogo em Comércio Exterior proporciona uma formação completa em aspectos conceituais e práticos para o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias no sentido de atuar nesse mercado globalizado.

2 - O que o aluno irá aprender no curso?

R - Através do primeiro eixo, em que os chamados microfundamentos são assimilados, o aluno aprenderá conceitos de uma organização e como ela atua no mercado de comércio exterior, bem como as exigências do profissional desta área. Nos eixos 2 e 3, teremos conteúdos bem específicos de comércio exterior, como negociação internacional, contexto econômico internacional, sistemática de exportações e importações, cultura dos países, logística internacional, câmbio, gestão de recursos humanos em ambientes globais, propaganda e marketing para o mercado externo, dentre outros assuntos internacionais. Tudo isso será aplicado em projetos dentro de empresas. Ou seja, o aluno já aprende desenvolvendo na prática do mercado.

3 - Considerando o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, quais as vantagens de se ter um título de Tecnólogo em Comércio Exterior pelo ICEG Escola de Negócios da PUC Minas?

R - São inúmeras. Primeiro, porque o aluno, desde o primeiro eixo, já estará em contato com empresas, o que possibilita uma abertura para futuros estágios e empregos em sua área de atuação. Segundo, porque é um curso superior, o que possibilita ao aluno, após a conclusão, seguir diferentes projetos de carreira. O egresso poderá optar por um percurso acadêmico, fazendo mestrado e doutorado; ou poderá se inserir diretamente no mercado, já que as oportunidades são inúmeras para quem possui um diploma de curso superior. Além disso, não podemos esquecer que existe também a possibilidade de uma carreira pública, sempre disponível a partir de concursos e processos seletivos diversos.

4 - Quais as vantagens que alguém que já possui graduação na área gerencial tem em fazer o Tecnólogo em Comércio Exterior?

R - Como nosso curso é de apenas dois anos, o profissional que já possui uma graduação em outra área terá a oportunidade de ampliar seus conhecimentos na área de comércio exterior e potencialmente aumentar seu escopo de atuação no mercado de trabalho. Eu diria ainda que se trata de uma ótima oportunidade, prática e aplicada, para desenvolvimento de novas habilidades e competências que serão adquiridas ao longo do nosso curso.

5 - Qual o diferencial do curso de Tecnologia em Comércio Exterior do ICEG?

R - São muitos os diferenciais! Um deles, certamente, é nossa metodologia inovadora, baseada em projetos e não em disciplinas. Temos quatro eixos (semestres) em nosso curso, formatados na estrutura de projetos aplicados em empresas, o que possibilita ao aluno executar processos dos conhecimentos adquiridos nos microfundamentos desde o primeiro eixo. Através destes microfundamentos, o futuro tecnólogo em comércio exterior irá conhecer conteúdos conceituais, comportamentais e aplicados para o exercício de sua profissão, que vão desde aspectos da estrutura de empresas que atuam com comércio exterior e exigências do profissional da área a assuntos técnicos específicos de sua formação. Além disso, o curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior  do ICEG Escola de Negócios é ofertado na modalidade EaD, o que permite ao aluno flexibilidade para estudar em qualquer lugar do Brasil e realizar as provas presenciais em um dos diversos polos distribuídos estrategicamente em todo país. Um outro diferencial desse curso é a estrutura que a PUC Minas oferece. Biblioteca com acervo digital de primeira linha com uma série de e-books, artigos, periódicos, revistas atualizadas e de relevância no mercado. Oportunidades de intercâmbio, estudos de idiomas e outras possibilidades através da Assessoria de Relações Internacionais. Eventos, palestras e workshops em diversas temáticas que enriquecem o aprendizado do aluno para sua formação humana e técnica. O corpo docente e a equipe pedagógica diferenciada no mercado brasileiro também são diferenciais. Os professores responsáveis pela condução didática, microfundamentos e projetos possuem uma formação ampla e são profissionais altamente qualificados no mercado para atuarem em nosso curso. Finalmente, e talvez um dos fatores mais importantes e decisivos, está a qualidade PUC Minas, que é nada menos que a maior universidade católica do mundo e uma das melhores universidades privadas do Brasil, de acordo com o Times Higher Education.

6 - Qual a importância da Coordenação do curso de Tecnologia em Comércio Exterior para uma carreira tão rica como a sua?

R - Possuo formação em comércio exterior e atuo nessa área há mais de 20 anos. Por isso, posso dizer que desenvolver uma carreira fazendo o que gosta é muito gratificante. O papel da coordenação, além de gerenciar diversos processos acadêmicos e administrativos do curso, envolve também monitorar e estar atento ao que ocorre na área de comércio exterior para levar o que há de mais moderno e contextualizado para os alunos. Além do mais, trabalhamos com os olhos voltados para nossos alunos em suas necessidades de formação humana e conceitual. Coordenar esse curso é um desafio enorme e, ao mesmo tempo, um prazer de poder compartilhar minha experiência e contribuir para a formação de futuros profissionais de comércio exterior. Além disso, é sempre muito bom liderar uma equipe tão motivada como a que faz este curso. Sou apaixonado por minha área. O mesmo acontece em relação a este tecnólogo.

7 - Para você, quais são os grandes desafios deste curso?

Os desafios desse curso passam pelo cenário de incertezas econômicas e políticas do mundo. Tal cenário tem a ver com o campo de atuação do profissional de comércio exterior. Lidar com as relações comerciais internacionais em um cenário em constante movimento é muito desafiador. Por outro lado, nos ajuda a crescer e a enfrentar também os elementos exógenos às nossas organizações domésticas, buscando alternativas e possibilitando uma perspectiva mais ampla e global para os negócios brasileiros. A demanda por profissionais qualificados em comércio exterior está crescendo, com oportunidades de ampliação do escopo de um negócio próprio e com possibilidades do portador de diploma se tornar colaborador de alguma organização. Encorajo, portanto, os alunos futuros profissionais do Curso de Tecnologia em Comércio Exterior a se prepararem agora para atuar com maior capacidade e competência em um mercado cada vez mais globalizado e competitivo.  See you soon!