Poços + Inteligente: Infraestrutura e Inovação em Mobilidade Elétrica

 O “Poços + Inteligente” é um projeto de mobilidade elétrica. Entre as ações e produtos desenvolvidos estão a construção de uma infraestrutura de recarga de automóveis, a criação de um protótipo de carruagem elétrica e uma plataforma de gestão e operação de mobilidade elétrica com recursos de inteligência artificial.

Publicado em 21/09/2023

Autor: Prof. Dr. Fabiano Costa Teixeira

No ano de 2018 iniciou-se, na ANEEL, as tratativas para a realização de uma chamada por projetos estratégicos de pesquisa e desenvolvimento na área de mobilidade elétrica. Essa chamada é reconhecida sob o número 22/2018. No ano de 2019 foram selecionados 30 projetos em todo o Brasil e uma proposta apresentada pela parceria PUC Minas, DME Poços de Caldas e IFSULDEMINAS foi uma das aprovadas.

Dentre outras ações realizadas no projeto está a implantação de pontos de recargas de veículos elétricos. Foi instalado um equipamento de carga rápida no centro da cidade e outro de carga semirrápida no campus da PUC Minas. 

DJI_0173.JPG

Os pontos de recarga foram mapeados em um aplicativo, chamado PlugShare, bastante conhecido pelos motoristas. Isso colaborou para que proprietários de veículos elétricos tomassem conhecimento da existência desse tipo de infraestrutura em Poços de Caldas e optassem pela cidade como rota, o que já se tornou realidade e vem crescendo a cada dia.

É conhecida a importância dos veículos eletrificados na redução de emissão de gases. No entanto, sabe-se também que a matriz energética tem grande influência no quão limpo é o uso de eletricidade na mobilidade, pois, em muitas situações, tem-se emissão de gases no processo de geração da energia (por exemplo, as termoelétricas).

De forma a permitir que veículos recarregados nos pontos do projeto trafeguem com uma redução real de emissão de gases, foi construída uma infraestrutura para geração e armazenamento de energia. Duas usinas fotovoltaicas e um banco de baterias estacionárias foram instalados no campus da PUC Minas em Poços de Caldas. 

Essa infraestrutura possui um controle que permite que a energia fotovoltaica possa ser empregada diretamente em uma recarga, armazenada em baterias para utilização posterior ou injetada na rede da distribuidora de energia (gerando créditos).

Além da utilização de energia limpa para recarga de veículos, a implantação do projeto “Poços + Inteligente” tem colaborado com os objetivos do desenvolvimento sustentável no sentido da construção da cultura de uma mobilidade mais responsável com o meio ambiente. A instalação dos carregadores em locais estratégicos, a realização de eventos, a oferta de oficinas de extensão e as ações de comunicação tem contribuído para a propagação da informação junto à comunidade e, nitidamente, nota-se o aumento do interesse pelo tema e do número de veículos eletrificados circulando pela cidade.

O projeto também se preocupou, além das questões de energia, com a proteção animal. Uma carruagem elétrica foi construída e apresentada à sociedade como alternativa à tração animal existente no setor de turismo há décadas em Poços de Caldas. A solução foi muito bem aceita e a cidade já está preparando edital para aquisição das primeiras unidades compatíveis com o protótipo e a finalização da exploração dos cavalos. Esse exemplo de Poços foi noticiado, outras cidades tomaram conhecimento e já estão com tratativas para também adotarem o produto e encerrarem as atividades com as charretes.

carruagem.jfif

Os trabalhos de pesquisa, desenvolvimento e inovação tem construído uma abrangente plataforma (envolvendo hardware e software) de gestão e operação de serviços de mobilidade elétrica. O sistema contempla as atividades de recarga de veículos, telemetria, compartilhamento de carros e bicicletas eletrificadas, rastreamento e gestão de carruagem.

No módulo de recarga de veículos elétricos um importante resultado foi alcançado. Atualmente, a realização de previsão de autonomia de veículos elétricos é um desafio. As experiências práticas em viagens do estado de São Paulo para Poços de Caldas demonstraram que o computador de bordo do veículo apresenta erro de aproximadamente 30% em função, entre outros fatores, da altitude onde Poços se encontra. Uma dissertação de mestrado conduzida pelo PPGInf resultou em um modelo de aprendizado de máquina que, em testes iniciais, realizou a predição de autonomia com erros entre 0,31% e 2,11% para o mesmo trajeto.



Ei, você! Tem atuado em alguma boa prática e deseja compartilhar com a comunidade acadêmica?