Roda de conversa sobre migração internacional e trabalho

Nesta sexta-feira, 19, às 19h, na sala 103 do prédio 47, Campus Coração Eucarístico, será realizada roda de conversa com a coordenadora nacional do Projeto de Cooperação Sul-Sul para Proteção dos Direitos de Trabalhadores e Trabalhadoras Migrantes na Região da América Latina e Caribe da Organização Internacional do Trabalho (OIT), a assistente social Cyntia Sampaio, que falará sobre migração internacional e trabalho.


O encontro é promovido pelos departamentos de Relações Internacionais e Serviço Social, ambos do Instituto de Ciências Sociais, e pelo Programa de Pós-graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial. A iniciativa partiu do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão Direitos Sociais sobre Migração (Gipe-DSM), do Serviço Social, e do Grupo de Estudos em Distribuição Espacial da População (Geped), da Pós-graduação em Geografia.


Em sua trajetória profissional, Cyntia Sampaio tem se envolvido com organismos internacionais e organizações não governamentais de referência na proteção de grupos populacionais em situação de vulnerabilidade, e com o passar dos anos se especializou na temática da migração e refúgio. Depois de experiências significativas de trabalho, foi contemplada com a bolsa de estudos Erasmus Mundus, concedida pela União Europeia, e obteve na Alemanha seu título de mestre em Migração e Relações Interculturais.


Como coordenadora nacional do Projeto de Cooperação Sul-Sul para Proteção dos Direitos de Trabalhadores e Trabalhadoras Migrantes na Região da América Latina e Caribe, desenvolvido em parceria com o governo brasileiro, a assistente social espera que sua experiência nas áreas de diálogo social, gerenciamento de projetos e gestão migratória contribua para que os trabalhadores e trabalhadoras migrantes na América Latina e região do Caribe tenham seus direitos conhecidos e respeitados.


A OIT é uma agência das Nações Unidas, cuja missão é promover oportunidades para que homens e mulheres possam ter acesso a um trabalho decente e produtivo, em condições de liberdade, equidade, segurança e dignidade.