Logon

 14/06/2024 08:00

A Unidade Praça da Liberdade da PUC Minas sediará, entre os dias 18 e 21 de junho, o 1º Congresso brasileiro de Psicologia e migração. Com o tema Por uma sociedade sem fronteiras, o evento é realizado pelo Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais (CRP-MG), coorganizado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP), e conta com a parceria da Universidade e do Coletivo de Profissionais que Atuam com Migração (Psimigra). A conferência de abertura acontecerá no dia 19 de junho, quarta-feira, às 19, no auditório Liberdade do prédio 1.

A participação de especialistas de vários países é um dos destaques do evento. A conferência de abertura será proferida pela psiquiatra e psicoterapeuta Samah Jabr. Desde 2016, Samah é chefe da Unidade de Saúde Mental do Ministério Palestino. A conferência tem como tema Ampliando o debate sobre saúde mental: discursos psicológicos dominantes e o contexto palestino. Na ocasião, também será lançado o livro Sumud em tempos de genocídio escrito por Dra. Samah. Há mais de 20 anos, ela pesquisa as consequências traumáticas da ocupação israelense na saúde mental dos palestinos. O livro foi organizado e traduzido para o português por Rima Awada.

As atividades, gratuitas e presenciais, foram construídas de forma colaborativa e compartilhada há alguns anos, e contemplarão conferências, minicursos e mesas, exposição de pôsteres, além da apresentação de trabalhos em comunicações orais. A programação prevê ainda a realização de duas atividades no Pré-Congresso: a exibição comentada de filmes, no dia 18 de junho, e o 1º Encontro do Sistema Conselhos de Psicologia sobre Migrações, Refúgio e Apatridia, no dia 19 de junho.

O congresso acontece em um contexto marcado por violência e tensões sociopolíticas profundamente entrelaçadas que afetam a condição de migrantes que chegam ao Brasil, e se orienta pela perspectiva do sul global, por isso, a maior parte das(os) convidadas(os) provêm de países da América Latina, África e Oriente Médio (Palestina). Os fluxos migratórios recentes em direção ao país são majoritariamente de populações da América Latina e do Caribe, em grande parte compostos por deslocamentos forçados. Esse contexto impõe uma maior situação de vulnerabilidade para migrantes, principalmente para determinados grupos.

A organização do Congresso disponibilizará um espaço com presença de monitoras(es) para acolher crianças e adolescentes, de 3 a 15 anos, durante as atividades. A iniciativa pretende viabilizar a participação de cuidadoras(es).

Confira a programação completa e os locais das demais atividades na página do evento.


Leia também