Logon

03/03/2023 11:00

O Museu de Ciências Naturais PUC Minas inova ao expor aos visitantes o processo de montagem da réplica do fóssil de Purussaurus, o maior jacaré que habitou o planeta. O exemplar mede 13,5 metros e foi encontrado no Acre. A peça foi enviada pelo Museu da Amazônia, em Manaus.

Durante seis meses biólogos, paleontólogos e artistas plásticos do Museu trabalharão no processo de montagem que consiste no acabamento de escultura de algumas peças, pintura e instalação de ferragens para a articulação das peças. Após a montagem será transportada para o local de exposição definitivo, no terceiro andar do Museu, e fará parte da exposição permanente Vida na Água.

O Purussaurus é um gênero extinto, que viveu durante o período Mioceno, de 15 a 5 milhões de anos atrás. O primeiro fóssil foi encontrando em 1892 pelo naturalista João Barbosa Rodrigues, no rio Purus no estado do Amazonas. Estima-se que os adultos da espécie pesavam entre 8 e 10 toneladas. O Museu PUC Minas já contava com o crânio do mesmo jacaré e agora terá o fóssil completo.

Exposição Vida na Água

Quando estiver completamente montado, o Purussaurus fará parte da exposição Vida na Água, composta de coleção de conchas de invertebrados do mundo inteiro, além de peixes fósseis da Chapada do Araripe (Ceará). A coleção, de cerca de mil peças, foi entregue à PUC Minas pelo professor Cástor Cartelle. O paleontólogo, que é curador da Coleção de Paleontologia do Museu da Universidade, reuniu os exemplares ao longo de 30 anos, com a ajuda de colaboradores. Os peixes fósseis do Araripe, um celeiro mundial de fósseis de cerca de 65 milhões de anos, foram obtidos por meio de projetos de pesquisa coordenados pelo professor.

Os visitantes podem acompanhar a montagem do Purussaurus durante o horário de funcionamento do Museu, de terça a sábado, das 9h às 17h, no hall de entrada. O Museu está localizado na rua Dom José Gaspar, 290 – Coração Eucarístico.

Leia também