Logon

30/11/2021 14:00

O Museu de Ciências Naturais recebeu na última segunda-feira, 29 de novembro, dois troncos fósseis, que possuem pelo menos 90 milhões de anos, encontrados na frente de uma garagem de equipamentos pesados, no bairro São Francisco, região da Pampulha, em Belo Horizonte.

De acordo com o Serviço Geológico do Brasil, os troncos fósseis passam por uma interrupção do processo de decomposição e suas características são preservadas por uma transformação do material orgânico original em rocha através da mineralização.

O biólogo do Laboratório de Paleontologia do Museu, Marco Aurélio Cerqueira Veloso, diz que pesquisadores irão determinar qual espécie de árvore e será feita a análise mineral. "Se conseguirmos identificar, irá mostrar como era uma região em determinada época, como seria a vegetação à qual pertencem os troncos. Todo tronco fóssil é bem raro, bem bonito".  

Os troncos fósseis pertenciam ao Sr. Ader Sturzeneker, já falecido, e foram doados por seus filhos Luís Cláudio e Marcos.

As peças, que pesam de 300 a 400 quilos cada uma, passarão por tratamento e ficarão expostas no Museu. Foram necessárias seis pessoas para fazer a rolagem do material quando do recebimento no Museu, entre elas funcionários da Agência Nacional de Mineração. Uma retroescavadeira foi utilizada para retirar os troncos no local doado.

O material foi avistado por estudante da PUC Minas, passando no local, que avisou o Museu. O Museu entrou em contato com a Agência Nacional de Mineração, e, a partir de agora, será o depositário das peças. 

Leia também