Novembro Azul: é hora de se cuidar

Assim como o Outubro Rosa, novembro também é um mês de conscientização. Desta vez, o alerta é para os homens. A campanha Novembro Azul surgiu em 2003, na Austrália, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado no dia 17 de novembro. O objetivo é acender o alerta para a importância da prevenção e diagnóstico precoce do segundo tipo de neoplasia mais comum entre a população masculina, atrás apenas do câncer de pele. O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), órgão auxiliar do Ministério da Saúde, estima 65.840 casos novos de câncer de próstata para cada ano do triênio 2020-2022 no Brasil.

Embora seja uma doença comum, ainda há um certo tabu que impede que homens falem sobre o assunto. O Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL), que promove o Novembro Azul no Brasil desde 2008, lançou a campanha de conscientização deste ano com o lema Seja Homem: Se Cuide!, que, além do alerta para a doença, aponta a necessidade de os homens assumirem o protagonismo de sua própria saúde, não apenas realizando os exames preventivos relacionados ao câncer de próstata, mas também incorporando hábitos à rotina que promovam qualidade de vida.

O professor Galeno Hassen Sales, geriatra e docente do Curso de Medicina e da Pós-graduação em Gerontologia da PUC Minas, ressalta que o câncer de próstata é uma doença silenciosa, de desenvolvimento lento e que apresenta poucos sintomas. Por isso, a necessidade do controle periódico. "Quanto mais precoce o diagnóstico, maior a chance de cura", afirma.

A idade é o principal fator de risco. Segundo Galeno, de cada dez casos, nove são em homens acima de 55 anos de idade, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda para início do controle preventivo. Apesar de não serem comuns casos abaixo dessa faixa etária, homens que tenham histórico familiar da doença em parentes de primeiro grau – pai, irmãos e filhos – devem iniciar o acompanhamento médico antes.

Outro fator de risco é a obesidade. "Trabalhamos a mudança de estilo de vida como forma de redução da incidência do câncer de próstata. É importante praticar exercícios, manter uma dieta saudável, diminuir a ingestão de álcool e evitar o tabagismo", alerta o professor.

O diagnóstico do câncer de próstata é feito por meio de um exame de sangue denominado PSA - sigla para Prostate-Specific Antigens, ou antígenos específicos da próstata em português - e pelo toque retal, que é necessário porque a próstata, glândula do sistema reprodutor masculino que produz e armazena parte do fluido seminal, é um órgão muito pequeno e fica entre a bexiga e o final do intestino. "Apesar de muitos homens terem medo, é um exame rápido, dura em torno de dez segundos, e não é doloroso", observa Galeno. O exame também permite detectar outras doenças como prostatite, que é a inflamação da próstata, e hiperplasia, o seu aumento da próstata.

Apesar de ser uma doença de evolução silenciosa, que apresenta poucos ou nenhum sintoma em sua fase inicial, alguns indícios como dificuldade, dor ou sangramento ao urinar devem ser considerados. Caso surja algum desses sintomas, é preciso procurar um urologista com urgência. Os laços azuis que estampam a campanha durante o mês de novembro são para lembrar que a prevenção e o diagnóstico precoce são o melhor remédio.

Quer saber um pouco mais sobre o tema? Acesse aqui a cartilha informativa produzida pelo Inca.