Oratória: a arte de se expressar em qualquer lugar

Suor, tremor, taquicardia, boca seca e falhas na memória. Algumas pessoas sofrem com esses sintomas só de pensarem em subir em um palco, apresentar um trabalho ou pedir a palavra em uma reunião. Seja por timidez, ansiedade ou insegurança, o medo de se expressar em público afeta diversas pessoas no trabalho, na vida acadêmica ou até mesmo nas relações pessoais. Mas se expressar é uma habilidade que pode ser adquirida. É o que ensina o professor Márcio Barros, coordenador do Curso de Oratória Profissional do IEC PUC Minas.

"Temos uma ideia muito restrita de que oratória é o palco e o microfone. Eu defendo sempre a oratória na vida profissional, social e familiar. O desenvolvimento pessoal te conduz para o desenvolvimento profissional. A importância da oratória é para você se posicionar, expressar suas ideias, expressar seus sentimentos, participar da comunidade, de reuniões de grupos e da vida familiar", explica o professor, que define três pilares para a oratória: o mensageiro, a mensagem e a plateia.

Seja em uma conversa particular, seja em um discurso para uma multidão, o segredo para se comunicar com eloquência é transformar primeiro o orador. "É muito importante essa ordem porque tem o discurso que você fala para quem está te ouvindo, mas antes desse, tem o discurso interno, o que você fala para você mesmo", afirma o professor, que sugere como primeiro exercício para desenvolver habilidade de expressão internalizar o que se diz. "Qual palestra você faz para você", explica.

O próximo passo é focar na mensagem, sempre buscando conteúdos relevantes. Por fim, vem o público. "O grande problema é que todo mundo foca na plateia primeiro. Só depois que você tiver domínio sobre o que você fala é que você vai pensar na plateia", aponta.

Para desenvolvera autoconfiança, o professor sugere dois pontos que devem ser trabalhados: autoconsciência e prática. "Comece a prestar atenção em você, no que você fala. E comece a falar. Não precisa ser para 300 pessoas. Comece falando aos poucos, para uma ou duas pessoas. Mas tem que começar", orienta.

Algumas técnicas ajudam. O professor orienta a organizar a mensagem de forma que tenha começo meio e fim. Além disso, é preciso o cuidado corporal, a começar pela respiração. "Um exercício prático é a respiração diafragmática, que é pelo abdômen, e não pelo tórax. Perceber a sua respiração é um exercício muito forte para desenvolver autoconfiança porque a pessoa se observa e logo chega à conclusão que sobre a respiração ela tem controle. Então, olha que interessante: eu tenho que me controlar e não querer controlar primeiro a plateia", analisa.

Outra dica valiosa é cuidar da postura. "Procure ficar com ombros queixo e pés em uma angulação de 90 graus. Ficar em uma posição elegante mostra que, de certa maneira, você está preparado. Se você está falando em público, você tem que cuidar da sua aparência e a primeira aparência é essa: sua postura", afirma. Por fim, é importante cuidar da voz. A última dica do professor é a positividade. "Mentalizar que está preparado é um estado mental positivo para a vitória. É preciso pensar: eu estou preparado, eu treinei e eu vou fazer um excelente discurso", orienta.

Interessou-se em desenvolver melhor a habilidade de se expressar? Acompanhe o professor Márcio Barros no seu canal no YouTube, e nas redes sociais LinkedIn e Instagram.