Consulta Pública 


Prezados(as) professores(as)


        Considerando que neste semestre teremos o quarto ciclo da avaliação docente e, com ele, um amadurecimento do processo, o momento torna-se oportuno para identificação da necessidade de melhorias. Embora haja várias questões que poderiam ser debatidas, em nosso entendimento, duas são mais prementes: 1) definir se o ato de avaliar os professores, em questões específicas, deve ser atribuído apenas ao coordenador ou a todos os membros do colegiado; e 2) definir o número de membros do colegiado que avaliará cada professor. Especialmente para este segundo ponto, destacamos os seguintes motivos:


  1. Atribuição da nota zero, em função da falta de avaliação do colegiado. Em nossa avaliação, atualmente esse é um problema secundário, haja vista a diminuição deste evento – no primeiro semestre de 2016, 87,57% dos colegiados realizaram as avaliações dos professores, e no primeiro semestre de 2017, este índice foi de 98,9%. Mas ainda assim, achamos pertinente pautar esta questão.

  2. Solicitações reiteradas de correção da nota, por falta de "reconhecimento" da nota dada e por eventuais percepções de personalização da avaliação.

  3. Possibilidade de "dividir" o impacto da avaliação do colegiado, especialmente quando a avaliação não for feita, e mesmo retirar o "poder" de avaliação de um membro apenas, compartilhando a nota dada com outros membros do colegiado.


Ainda que algumas questões relativas ao projeto de avaliação docente não sejam passíveis de mudança, entendemos que o seu formato pode sofrer alterações, de modo a minimizar as dificuldades relatadas acima. Desse modo, a CPA está propondo uma consulta pública (votação através do SGA), para que possamos promover uma discussão sobre a questão, envolvendo todos os professores e colegiados da Universidade. Ressalta-se que para que o fruto dessa consulta pública implique realmente em uma mudança, dependemos de uma taxa mínima de participação dos professores (pelo menos 51% do total de docentes).

Outro ponto importante a ser destacado é que à avaliação das aulas presenciais e virtuais, já implementadas, será somada a avaliação das atividades acadêmico-administrativas (coordenador de curso, membros de colegiado e professores com horas de dedicação nos cursos), a ser implementada pela primeira vez no segundo semestre de 2017. Conforme já disponibilizado em consulta pública sobre os questionários que serão utilizados, também aqui será da competência do coordenador e dos membros do colegiado a execução dessa avaliação. Desse modo, qualquer decisão, advinda desta nova consulta pública, que vier a alterar a forma de avaliação dos colegiados, impactará, de mesmo modo, todas as demais avaliações feitas por este público avaliador.

 

As opções para votação, construídas a partir de sugestões recebidas pela CPA, são as seguintes:

 

Para definição do papel do coordenador na avaliação de cada docente.

O ato de avaliar os professores, em questões específicas, como por exemplo, o preenchimento do plano de ensino e o fechamento do diário, deve ser atribuído:


(   ) Apenas ao coordenador do curso

(   ) Ao coordenador e aos membros do colegiado

 

 

Para definição do número de membros do colegiado a avaliar os professores, no processo de avaliação docente.

 

  • Manter como está: os professores do curso são distribuídos aleatoriamente entre os quatro membros do colegiado. Dessa forma, cada membro do colegiado recebe um número similar de professores a serem avaliados.

  • Distribuir cada professor do curso para avaliação de dois membros do colegiado, sendo a nota final a média entre as duas notas atribuídas.

  • Distribuir cada professor do curso para avaliação de todos os membros do colegiado, sendo a nota final a média entre as quatro notas atribuídas. Neste caso, cada membro de colegiado, teria apenas três notas para média da avaliação do colegiado.


Sugerimos que os colegiados reúnam-se com os professores para discutir as opções, considerando que:


  1. O número total de professores a serem avaliados em cada curso varia, já que há cursos pequenos e outros bem maiores, comportando até 120 professores;

  2. Trata-se de uma avaliação semestral, envolvendo diferentes dimensões (aula presencial, virtual, atividades de dedicação) e que, em todas elas, há a participação do colegiado na avaliação de cada professor do curso (totalizando três questionários sobre cada professor, para avaliação dos membros do colegiado);

  3. A opção escolhida pela maioria, nesta consulta pública, incidirá sobre todas as atividades envolvidas na avaliação docente, de competência da avaliação dos membros do colegiado do curso.



Por fim, destacamos que a proposta de colocar esta decisão para consulta pública está em consonância com a forma de trabalho adotada pela CPA, incentivando a participação da comunidade acadêmica na construção dos instrumentos de avaliação, através de constantes consultas públicas e reuniões junto aos professores e representantes da administração da Universidade.

A consulta estará disponível entre os dias 18 de setembro e 02 de outubro, pelo SGA (ícone no centro da tela – Consulta Pública). Contamos com a contribuição de todos.

Cordialmente,

Comissão Própria de Avaliação