Assessoria de Relações Internacionais

Perguntas Frequentes

Alunos da PUC Minas

1) Quais são os tipos de programas de intercâmbio da PUC Minas?

2) Quais são os pré-requisitos para um estudante participar dos convênios da PUC Minas?

3) Com quais países e universidades a PUC Minas mantém convênios acadêmicos?

4) Quais são as etapas do processo seletivo para um intercâmbio acadêmico através da PUC Minas?

5) Quando ocorrem as inscrições para os programas de intercâmbio da PUC Minas?

6) Onde posso conseguir a documentação exigida para a inscrição na universidade/escola estrangeira após ser selecionado pela Assessoria de Relações Internacionais?

7) É possível iniciar um curso na PUC Minas e terminá-lo no exterior?

8) Como se dá a revalidação, no Brasil, dos diplomas de graduação e pós-graduação expedidos por universidade estrangeira?

9) Quais os passos que devo seguir para revalidar estudos de nível superior realizados no exterior?

10) Existem normas específicas para o reconhecimento de estudos, títulos e diplomas obtidos nos países do Mercosul?

11) A revalidação do diploma ou certificado de estudos de nível superior realizados no exterior é suficiente para o exercício da profissão no Brasil?

12) É possível revalidar diploma obtido em curso ministrado na modalidade à distância por instituição estrangeira?

13) Pretendo estudar em uma universidade estrangeira que não tem convênio com a PUC Minas. Em que a Assessoria de Relações Internacionais pode me ajudar?

14) O conhecimento do idioma do país de destino é obrigatório?

15) Posso trabalhar enquanto estudo no exterior?

16) Qual a política da PUC Minas em relação aos programas de “Work & Travel”?

17) É possível fazer um estágio no exterior dentro da minha área de estudos? A PUC Minas oferece algum programa de estágio no exterior?

18) Preciso traduzir documentos. Quais fontes e locais devo procurar?

Informações gerais sobre viagens ao exterior

19) Onde posso obter informações sobre passaporte, vistos e documentos necessários para viajar para o exterior?

20) Como me hospedar no país estrangeiro?

21) Quais os custos envolvidos em um programa de intercâmbio?

Informações sobre bolsas de estudos

22) As universidades conveniadas com a PUC Minas oferecem bolsas de estudo?

23) A PUC Minas oferece alguma bolsa para estudo no exterior?

24) Onde posso encontrar informações sobre oportunidades de bolsas de estudos e financiamento a projetos de pesquisa no exterior?

25) Dentre as universidades conveniadas com a PUC Minas existe alguma que oferece bolsa de estudo para pós-graduação no exterior?

26) Quem pode se candidatar a uma bolsa de estudos no exterior?

Estudo de idiomas em escolas estrangeiras

27) Tenho interesse em estudar idiomas no exterior. Em que a Assessoria de Relações Internacionais pode me ajudar?

28) Quais os convênios para estudos de idioma no Brasil? E no exterior?

Alunos de pós-graduação, professores e funcionários da PUC Minas

29) Quais os procedimentos para firmar um novo convênio acadêmico entre a PUC Minas e uma universidade estrangeira?

30) Como posso me candidatar aos programas de intercâmbio da PUC Minas?

Ex-alunos da PUC Minas

31) Sou ex-aluno da PUC Minas e quero realizar estudos no exterior. Em que a Assessoria de Relações Internacionais pode me ajudar?


» Topo

Alunos da PUC Minas

1) Quais são os tipos de programas de intercâmbio da PUC Minas?

Listamos abaixo os tipos de programas de intercâmbio da PUC Minas, alguns deles em implementação:

  • Programas Acadêmicos Bilaterais: Convênios de caráter internacional, existentes entre a PUC Minas e uma instituição estrangeira, que pode ser uma universidade, um instituto de pesquisa ou uma organização internacional, com objetivo de estudos, realização de pesquisas ou estágios acadêmicos.
  • Programas de Treinamento Profissional: Acordos para realização de estágio profissional de caráter internacional, a ser realizado no Brasil, por estagiário estrangeiro, ou no exterior, por estudante brasileiro, podendo o mesmo ser remunerado ou não. Estes estágios são, geralmente, feitos em empresas conveniadas com a PUC Minas.
  • Programas de Aperfeiçoamento em Idiomas: Acordos com universidades e escolas de línguas para estudo de idiomas em um país estrangeiro ou no Brasil.
  • PEC: Programa de Estudante-Convênio de Graduação e Pós-Graduação: constitui um dos instrumentos de cooperação educacional que o Governo brasileiro oferece estudantes originários de países em vias de desenvolvimento, especialmente da África e da América Latina. A PUC Minas oferece anualmente 6 (seis) vagas para graduação e aproximadamente 15 vagas (quinze) para pós-graduação.

A Assessoria de Relações Internacionais também oferece aos alunos da PUC Minas informações sobre instituições acadêmicas em vários países e as orientações necessárias, caso tenha interesse em estudar fora do Brasil. Consultando a Assessoria de Relações Internacionais o aluno terá bases mais seguras para se candidatar a uma bolsa no exterior ou para se decidir por uma instituição na qual estudará arcando com os custos envolvidos.

» Topo

2) Quais são os pré-requisitos para um estudante participar dos convênios da PUC Minas?

Para participar do processo de seleção para programas de intercâmbio da PUC Minas, o aluno precisa atender aos seguintes pré-requisitos:

  • ter alcançado a média real igual ou superior a 70% nas disciplinas cursadas;
  • estar regularmente matriculado entre o 4º e o 6º períodos (dos cursos de 8 períodos) e entre o 5º e o 8º períodos (dos cursos de 9 ou 10 períodos) no semestre anterior ao intercâmbio;
  • possuir nível intermediário ou avançado do idioma em que as aulas serão ministradas;
  • ter condições financeiras para arcar com as despesas correntes implicadas no programa.

Assim que as inscrições estiverem abertas, os interessados deverão entregar na Assessoria de Relações Internacionais os seguintes documentos:
a) Curriculum Vitae
b) Carta de intenções
c) Uma foto 3x4 ou 5x7
d) Comprovante de pagamento da taxa referente à avaliação na língua estrangeira (quando for o caso)
e) Declaração de que recebeu e leu a Carta de instruções da ARI assinada pelo aluno (modelo da carta estará disponível no site da SRI)

Os programas de intercâmbios internacionais têm exigências diferentes uns dos outros. As exigências comuns foram estabelecidas pela Resolução Nº. 11 do CEPE.

É muito importante que o aluno observe no Edital todas as informações sobre o programa que lhe interessa para que não prejudique a sua inscrição por falta de dados ou pela apresentação de documentos incorretos.

» Topo

3) Com quais países e universidades a PUC Minas mantém convênios acadêmicos?

Clique aqui e confira a lista completa de convênios acadêmicos da PUC Minas.

» Topo

4) Quais são as etapas do processo seletivo para um intercâmbio acadêmico através da PUC Minas?

Após lançamento do Edital, são abertas as inscrições para o processo seletivo, que se dá em três etapas:

  • Análise de títulos e documentos. Nesta etapa, se o candidato não entregar os documentos completos ou não se enquadrar nos critérios estabelecidos pelo Edital será desclassificado. Portanto, leia com muita atenção o Edital correspondente ao programa do seu interesse.
  • Avaliação da proficiência no idioma exigido pela instituição estrangeira. O exame é feito por escolas especializadas. A Aliança Francesa, o ICBEU-BH e o Instituto Cervantes realizarão os testes de francês, inglês e espanhol, respectivamente.
  • Entrevista em banca para os alunos que passaram pela primeira e segunda fase, que são eliminatórias. A entrevista é realizada com um representante da Assessoria de Relações Internacionais e por professores representantes das grandes áreas de conhecimento (exatas, humanas e biológicas).

» Topo

5) Quando ocorrem as inscrições para os programas de intercâmbio da PUC Minas?

O período de inscrição pode variar de um semestre para outro. Geralmente, todos os editais são lançados no segundo semestre, para que o processo seletivo termine logo no início do ano letivo. A seleção dos intercambistas será feita de uma só vez tanto para os programas que se realizarão no segundo semestre subseqüente e também para o primeiro semestre do ano seguinte. Esteja atento às divulgações da Assessoria de Relações Internacionais sobre os programas em vigor e os seus respectivos prazos e condições de inscrição.

» Topo

6) Onde posso conseguir a documentação exigida para a inscrição na universidade/escola estrangeira após ser selecionado pela Assessoria de Relações Internacionais?

O CRA – Centro de Registros Acadêmicos – provê todos os documentos necessários para o aluno da PUC Minas estudar no exterior. Os prazos estabelecidos pelo CRA devem ser cumpridos, portanto, fique atento. Serão exigidos documentos relativos ao curso do estudante e aqueles necessários para a concessão de vistos.

Lembre-se que você deverá atender a todas as exigências relativas ao programa do seu interesse, tanto no momento da inscrição para o processo seletivo como para a inscrição junto à universidade estrangeira. Sendo assim, fique atento aos termos do Edital e às orientações dadas pela Assessoria de Relações Internacionais para não prejudicar a sua inscrição por falta de dados ou pela apresentação de documentos incorretos.

» Topo

7) É possível iniciar um curso na PUC Minas e terminá-lo no exterior?

Sim, é possível, através do processo de transferência que será feito nos termos estabelecidos pela instituição estrangeira que você escolheu. Nesse aspecto, é importante que a universidade para a qual você esteja se transferindo convalide os créditos das matérias que já cursou no Brasil.

Para isso você precisará de uma tradução juramentada de seu histórico escolar, das ementas de cada disciplina cursada e do seu conteúdo programático, o que pode ser um processo demorado e caro. Portanto, é aconselhável que verifique com bastante antecedência a possibilidade de transferência para que tenha tempo suficiente para todos os trâmites burocráticos.

» Topo

8) Como se dá a revalidação, no Brasil, dos diplomas de graduação e pós-graduação expedidos por universidade estrangeira?

A Lei n° 9.394/96 – a Lei de Diretrizes e Bases da Educação - em seu art. 48 § 2° e a Resolução CNE/CES no. 1/2002 do Conselho Nacional de Educação (CNE) atribuem a competência para a revalidação dos diplomas estrangeiros às universidades federais brasileiras que tenham o mesmo curso e no nível equivalente ao que foi cursado no exterior (bacharelado, mestrado ou doutorado). No processo de reconhecimento serão também considerados os acordos internacionais de reciprocidade ou equiparação dos créditos firmados pelo Brasil com Estados estrangeiros, o que pode facilitar a convalidação. Quanto ao procedimento a ser seguido pela universidade pública brasileira, ele será feito na forma em que estiver previsto no estatuto ou regimento da universidade federal em questão. Lembre-se que é muito comum que a instituição brasileira condicione a revalidação do diploma estrangeiro ao cumprimento das adaptações que julgar necessárias, visando a adequada correspondência com o nível de exigência das normas regulamentares vigentes no Brasil.

» Topo

9) Quais os passos que devo seguir para revalidar estudos de nível superior realizados no exterior?

As normas que regulam a matéria estabelecem o seguinte procedimento para a revalidação, no Brasil, de estudos de nível superior realizados em instituições estrangeiras:

(a) para solicitar a revalidação do diploma ou certificado o interessado deverá, primeiramente, identificar a universidade pública autorizada pelo CNE que ministre curso semelhante ao curso a ser revalidado;
(b) o processo é aberto diretamente na instituição escolhida pelo interessado, que deve apresentar, na ocasião, cópia do diploma expedido e documento oficial do estabelecimento de ensino estrangeiro contendo dados sobre a carga horária, o currículo do curso, os programas e as ementas das disciplinas cursadas e o histórico escolar do postulante. Para terem validade no Brasil todos os documentos devem ser autenticados pela autoridade consular brasileira com sede no país em que foram expedidos. Todas as firmas constantes nos documentos também devem ser reconhecidas.
(c) os processos são analisados um a um, e a decisão final é tomada por uma comissão de especialistas da área, designada pela instituição. A revalidação poderá incluir a obrigatoriedade de estudos complementares, exames e provas específicas (função que fica ao arbítrio da universidade, que tem autonomia para tanto).
(d) somente após esses trâmites, a universidade pode efetuar o registro do diploma. No caso dos certificados, títulos e diplomas de pós-graduação, só poderão conceder revalidação as universidades ou instituições isoladas federais de ensino superior que mantenham programas (mestrado ou doutorado) em área de conhecimento idêntica ou afim, e que tenham obtido notas iguais ou superiores a 04 (quatro) na última avaliação da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES.

» Topo

10) Existem normas específicas para o reconhecimento de estudos, títulos e diplomas obtidos nos países do Mercosul?

No âmbito do Mercosul existem acordos comunitários que visam facilitar o processo de reconhecimento pelas instituições brasileiras de diplomas e de títulos originários de um país mercosulino. O tratamento dado aos estudos, certificados e diplomas obtidos nos países membros do Mercosul tem como base os seguintes protocolos firmados:
(a) Protocolo de Integração Educativa e Reconhecimento de Certificados, Títulos e Estudos de Nível Fundamental e Médio Não-Técnico - Buenos Aires - Argentina, 04 de agosto de 1994, em vigor desde 06 de junho de 1996: prevê o reconhecimento automático dos estudos realizados e dos diplomas expedidos pelas instituições educacionais oficialmente reconhecidas, desde a 1ª série fundamental até a 3ª série do nível médio não-técnico. Tem como anexo uma tabela de correspondência em anos de escolaridade, para apoiar a matrícula nos países membros quando se tratar de estudos incompletos;
(b) Protocolo de Integração Educacional, Reconhecimento de Diplomas, Certificados, Títulos e Estudos de Nível Médio Técnico - Assunção - Paraguai, 28 de julho de 1995, em vigor desde 26 de julho de 1997: prevê o reconhecimento automático dos estudos realizados durante o ensino médio técnico e a revalidação dos diplomas expedidos pelas instituições educacionais oficialmente reconhecidas. Tem como anexo a tabela de correspondência em anos de escolaridade, para apoiar a matrícula nos países membros quando se tratar de estudos incompletos.
(c) Protocolo de Integração Educacional para o Prosseguimento de Estudos de Pós-Graduação nas Universidades dos Países Membros do Mercosul – Montevidéu – Uruguai, 30 de novembro de 1995, em vigor desde 07 de junho de 1999: prevê o reconhecimento de diplomas de graduação, obtidos em cursos com duração mínima de 4 anos ou 2700 horas, unicamente para ingresso em cursos de pós-graduação.
(d) Protocolo de Admissão de Títulos e Graus Universitários para o Exercício de Atividades Acadêmicas nos Países Membros do Mercosul – Assunção – Paraguai, 28 de maio de 1999, em fase de aprovação. Prevê a admissão de títulos de graduação obtidos em cursos com duração mínima de 4 anos ou 2700 horas e de pós-graduação (especialização com carga horária maior de 360 horas presenciais ou graus de mestrado e doutorado), exclusivamente para fins de docência e pesquisa no ensino superior.

CONFERIR NO SITE DO MERCOSUL (www.mercosur.org.uy)

» Topo

11) A revalidação do diploma ou certificado de estudos de nível superior realizados no exterior é suficiente para o exercício da profissão no Brasil?

A simples revalidação do diploma ou certificado estrangeiro pode não ser suficiente para a autorização do exercício profissional, pois, para o exercício de certas profissões, a legislação brasileira estabelece como condição fundamental a obtenção do registro profissional feito junto à entidade de classe correspondente. É esta autorização que habilita o profissional a exercer sua atividade regularmente no Brasil. O registro profissional pode ser obtido junto à subseção da entidade de classe respectiva, localizada no Estado onde o interessado irá fixar residência. Por exemplo, na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para o curso de Direito; no Conselho Regional de Medicina (CRM) para o curso de Medicina; no Conselho Regional de Engenharia (CREA) para os cursos de Engenharia; no Conselho Regional de Psicologia (CRP) para o curso de Psicologia; e assim por diante.

É importante lembrar, entretanto, que nem todas as profissões exigem o registro para o seu exercício. Nesse caso, bastará a revalidação do diploma.

» Topo

12) É possível revalidar diploma obtido em curso ministrado na modalidade à distância por instituição estrangeira?

As normas legais para a revalidação de diplomas e de certificados estrangeiros relativos a cursos de graduação e a mestrados e doutorados são as mesmas tanto para cursos à distância como para cursos presenciais. No caso de cursos de graduação, a solicitação deve vir acompanhada da documentação autêntica relativa aos estudos realizados e do respectivo diploma ou certificado, com tradução legalmente válida para o português. A relação desses documentos deve ser apresentada a uma universidade pública brasileira que possua curso na mesma área e nível ou equivalente. No caso de mestrado ou doutorado deverá ser apresentada a uma universidade brasileira credenciada que possua curso de mestrado ou doutorado reconhecido pela CAPES e pelo Conselho Nacional de Educação. A revalidação depende de análise de equivalência, além do reconhecimento da instituição estrangeira e de seus cursos, diplomas e certificados em seu país de origem, podendo ser efetivada ou não pela universidade brasileira. No caso de cursos a distância, é importante que os estudantes se certifiquem da legalidade e validade desses cursos de acordo com a legislação dos países onde são ministrados, uma vez que muitas instituições que os oferecem não são credenciadas como de nível superior em seus países e seus diplomas e certificados são apenas equivalentes ao que denominamos, no Brasil, de “cursos livres”, que não correspondem a cursos superiores regulares. É importante ressaltar, ainda, que nenhuma atividade de ensino ou atividades curriculares de cursos estrangeiros à distância poderão ser desenvolvidas no Brasil, a menos que as instituições estrangeiras regularmente se credenciem para atuar no ensino superior em nosso país.

» Topo

13) Pretendo estudar em uma universidade estrangeira que não tem convênio com a PUC Minas. Em que a Assessoria de Relações Internacionais pode me ajudar?

No caso do aluno optar por estudar em uma universidade não conveniada com a PUC Minas, a Assessoria de Relações Internacionais poderá ajudar com orientações de como o aluno deverá proceder. Auxiliará, também, emitindo os documentos requeridos pela universidade estrangeira, podendo, inclusive, enviá-los oficialmente (direto da PUC Minas para a instituição estrangeira). É o caso, por exemplo, de uma carta atestando o vínculo do aluno com a PUC Minas. Caso o aluno necessite de uma carta de recomendação, ela deverá ser solicitada a um professor da PUC Minas que conheça sua vida acadêmica. Se for necessário enviar mais de uma carta de recomendação, a Assessoria de Relações Internacionais poderá subscrever a carta feita pelo professor. A Assessoria de Relações Internacionais também está habilitada a fornecer informações sobre vistos, sobre legislação brasileira, validação de diplomas estrangeiros, sobre tradução de documentos oficiais ou acadêmicos emitidos por instituições brasileiras, dentre outras questões importantes para o estudo no exterior.

» Topo

14) O conhecimento do idioma do país de destino é obrigatório?

Sim. É obrigatório o conhecimento do idioma falado na instituição contemplada no convênio. Ele pode ou não ser o idioma oficial do país de destino. Existem programas em que o idioma demandado não é necessariamente o falado no país, mas, sim, aquele em que as aulas são ministradas. Por exemplo, em algumas universidades localizadas na China, na Holanda, Hungria, as aulas são ministradas em inglês.

» Topo

15) Posso trabalhar enquanto estudo no exterior?

Depende. Existem programas específicos que conciliam cursos com estágios profissionais e outros que permitem que o aluno dedique seu tempo livre ao trabalho remunerado dentro do próprio campus, por exemplo. No entanto, essas condições variam muito de país para país, ou em função do curso que se está fazendo, do estado civil, etc.
É importante que o aluno conheça todos os impedimentos a que estará sujeito em relação ao seu visto de estudante, colhendo todas as informações antes de decidir o destino para que defina a prioridade do seu intercambio. Se a prioridade for o estudo acadêmico, não conte com o fato de que será possível trabalhar, pois essa permissão depende do país escolhido e das limitações estabelecidas pelo visto respectivo. Em geral, o visto de estudante NÃO permite o exercício de atividades remuneradas.

» Topo

16) Qual a política da PUC Minas em relação aos programas de “Work & Travel”?

O responsável pela Assessoria de Relações Internacionais assina a documentação necessária para viabilizar o programa, sempre levando em consideração as datas do calendário acadêmico da PUC Minas. Em nenhuma hipótese a PUC Minas estende o prazo de férias acadêmicas para esses casos.

» Topo

17) É possível fazer um estágio no exterior dentro da minha área de estudos? A PUC Minas oferece algum programa de estágio no exterior?

Sim. Existem vários programas de estágio no exterior. Por ora, a PUC Minas é conveniada com dois programas. Para mais informações, clique aqui.

» Topo

18) Preciso traduzir documentos. Quais fontes e locais devo procurar?

Neste caso existem dois diferentes caminhos. Para tradução oficial de documentos indicamos o site da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (http://www.jucemg.mg.gov.br/ibr/), no qual você pode encontrar uma listagem dos tradutores licenciados. Já para as traduções não oficiais, sugerimos três diferentes sites, o Google tradutor (http://translate.google.com.br/?hl=pt-BR) , o dicionário Michaelis (http://michaelis.uol.com.br/) e, por fim, o dicionário Bab.la (http://pt.bab.la/dicionario/). Cabe deixar claro que estes sites nem sempre são precisos em suas traduções, mas que pode ser de grande valia na compreensão do texto em questão.

» Topo

Informações gerais sobre viagens ao exterior

19) Onde posso obter informações sobre passaporte, vistos e documentos necessários para viajar para o exterior?

Ao ser selecionado para os programas de intercâmbio da PUC Minas, o aluno recebe um Check List contendo todas as informações necessárias à obtenção dos documentos exigidos para a viagem. Essas informações também podem ser encontradas no site do Ministério das Relações Exteriores (MRE). O endereço do site é http://www.mre.gov.br. Além do MRE, o Departamento da Polícia Federal (DPF) fornece informações sobre obtenção de passaporte e você pode encontrá-las no seguinte endereço: http://www.dpf.gov.br. Há, ainda, as informações específicas que estão disponíveis nos sites das embaixadas ou consulados dos países de destino.

» Topo

20) Como me hospedar no país estrangeiro?

As opções de hospedagem em países estrangeiros normalmente são casas de família, dormitórios (dorms) e apartamentos (flats). Existe, ainda, a possibilidade de se alugar um quarto. De qualquer forma, após sua aprovação no intercâmbio, o departamento responsável pelas relações internacionais da universidade estrangeira provavelmente enviará informações completas sobre as acomodações disponíveis para o aluno de intercâmbio. Para os programas nos quais já houve estudantes participantes, a Assessoria de Relações Internacionais coloca os alunos recém selecionados em contato com os estudantes que já foram para a mesma instituição. Destacamos que nossa Assessoria ainda fornece aos alunos intercambistas o Guia de Viagem, onde constam algumas informações sobre hospedagem.

» Topo

21) Quais os custos envolvidos em um programa de intercâmbio?

Os programas de intercâmbio da PUC Minas garantem apenas a isenção das taxas escolares na instituição estrangeira. Dessa forma, o aluno deverá arcar com todos os seus gastos pessoais, tais como passagem, moradia, alimentação, transporte, visto, seguro saúde, etc.
As despesas variam de acordo com o país escolhido, uma vez que a economia e a cotação da moeda estrangeira são fatores determinantes.
Clique aqui para ver estimativas de gastos nos diferentes países de destino.

» Topo

Informações sobre bolsas de estudos

22) As universidades conveniadas com a PUC Minas oferecem bolsas de estudo?

Não. A maioria dos convênios da PUC Minas prevê apenas a isenção de taxas escolares, mas não financia o intercâmbio. Todas as demais despesas deverão ser arcadas pelo próprio aluno.

» Topo

23) A PUC Minas oferece alguma bolsa para estudo no exterior?

Criteriosamente, não. No entanto, há instituições estrangeiras conveniadas com a PUC Minas que oferecem ajuda de custo a estudantes brasileiros que pretendam estudar no exterior.
Por exemplo, a PUC Minas é representante do KAAD, um programa de bolsas de estudos na Alemanha financiado pela Igreja Católica e destinado a jovens católicos que desejam realizar uma pós-graduação naquele país.
Os pedidos para o programa de bolsa de estudos da KAAD devem ser entregues pelos candidatos na PUC Minas até o dia 15 de março de cada ano, para os cursos que se iniciam no primeiro semestre do ano seguinte; e até o dia 30 de outubro, para os cursos que se iniciam no segundo semestre do ano subseqüente.
Recomenda-se, entretanto, que os candidatos enviem seus documentos bem antes da data em que expira o prazo, para não ser surpreendido pela necessidade de complementar a documentação. Mais informações podem ser obtidas pelo site do KAAD: http://www.kaad.de/

» Topo

24) Onde posso encontrar informações sobre oportunidades de bolsas de estudos e financiamento a projetos de pesquisa no exterior?

A Assessoria de Relações Internacionais publica, periodicamente, o Radar Internacional, que fica disponível no nosso site para acesso de alunos, professores e funcionários da PUC Minas. Nessa publicação listamos as ofertas de bolsas de estudos e financiamento de pesquisas a serem desenvolvidas em países estrangeiros.
Lembramos que as oportunidades publicadas no Radar Internacional não são vinculadas à PUC Minas, portanto, estão abertas a todo o público externo.

» Topo

25) Dentre as universidades conveniadas com a PUC Minas existe alguma que oferece bolsa de estudo para pós-graduação no exterior?

A Hochschule Furtwangen University (Alemanha) possui bolsas para o Master of Science in Microsystems Engineering. Os alunos que desejam estudar na instituição devem devem participar do processo seletivo realizado pela Assessoria de Relações Internacionais. Caso sejam aprovados, serão indicados pela PUC Minas. No entanto, a aceitação definitiva do nosso aluno dependerá da ratificação da instituição estrangeira.

» Topo

26) Quem pode se candidatar a uma bolsa de estudos no exterior?

Os candidatos às bolsas no exterior devem atender aos pré-requisitos exigidos por ocasião da oferta e nos estritos termos do Edital do processo seletivo publicado pela Secretaria Geral da PUC Minas.

» Topo

Estudo de idiomas em escolas estrangeiras

27) Tenho interesse em estudar idiomas no exterior. Em que a Assessoria de Relações Internacionais pode me ajudar?

A Assessoria de Relações Internacionais possui alguns convênios com escolas de idiomas no exterior. Atualmente, a maioria delas oferece de 15% a 20% de descontos para alunos da PUC Minas. A Assessoria auxilia com a documentação e fornece algumas orientações sobre o visto, o país de destino, etc. No entanto, lembramos que para os cursos de idioma de pequena duração, existe a opção de o aluno procurar as agências especializadas em intercâmbio, em especial àquelas voltadas para os cursos de idiomas. Essas agências dão todo o tipo de suporte ao estudante, desde o processo de escolha da escola de idioma e país de destino até a sua matrícula, a compra da passagem, a reserva de hospedagem.

» Topo

28) Quais os convênios para estudos de idioma no Brasil? E no exterior?

Clique aqui para conhecer as escolas no Brasil e no exterior que possuem convênio com a PUC Minas, oferecendo descontos vantajosos aos alunos, professores e funcionários da universidade.

» Topo

Alunos de pós-graduação, professores e funcionários da PUC Minas

29) Quais os procedimentos para firmar um novo convênio acadêmico entre a PUC Minas e uma universidade estrangeira?

Existem diferentes formas de se realizar um convênio. A demanda pode partir da PUC Minas, através dos próprios professores e departamentos, ou a iniciativa parte da universidade estrangeira. Após essa indicação a Assessoria de Relações Internacionais estabelece os primeiros contatos com o órgão correspondente na instituição estrangeira, iniciando as negociações acerca dos termos específicos do acordo. Chegando-se a um consenso, ambas as partes firmam o convênio.

» Topo

30) Como posso me candidatar aos programas de intercâmbio da PUC Minas?

As formas e condições de participação de alunos de graduação, pós-graduação, professores e funcionários da PUC Minas em atividades internacionais são várias. Quando a universidade é conveniada com a instituição de destino, as condições para o intercâmbio são relacionadas nos Editais publicados pela Secretaria Geral. Caso ainda não exista um convênio que atenda ao programa internacional almejado, a Assessoria de Relações Internacionais orienta o interessado sobre os aspectos relevantes para o seu estudo, pesquisa ou o trabalho que pretende realizar no exterior, fornecendo informações sobre vistos, legislação brasileira, validação de diplomas, sobre a necessidade de tradução de documentos oficiais ou acadêmicos, dentre outros.
Quando necessário também enviamos uma carta atestando o vínculo do aluno, professor ou funcionário com a PUC Minas e ainda podemos oferecer o suporte necessário para que o interessado possa providenciar todos os documentos acadêmicos emitidos por nossa universidade que sejam exigidos, pela instituição estrangeira, durante o processo de seleção.

» Topo

Ex-alunos da PUC Minas

31) Sou ex-aluno da PUC Minas e quero realizar estudos no exterior. Em que a Assessoria de Relações Internacionais pode me ajudar?

A Assessoria pode ajudar os ex-alunos fornecendo informações sobre bolsas de estudos no exterior, destinadas aos alunos de pós-graduação. A ARI poderá também providenciar os documentos e as declarações oficiais que normalmente são exigidas em processos de seleção para o ingresso em universidades estrangeiras, ou para candidaturas a pós-graduação ou a programas de bolsas e financiamentos, junto a instituições estrangeiras.

» Topo

:: volta ::

Endereços:
Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG - CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444